O que significa dar frutos ou ser um cristão frutífero? Um Estudo Bíblico

Tweet

A Bíblia menciona ter ou dar frutos. O que isso significa? Que fruto produz um cristão fiel?

O que é Fruto?

A palavra grega usada para “fruto” é “karpos” e refere-se ao fruto da videira ou das árvores. No Antigo Testamento pode se referir aos filhos que nascem de uma família. No caso de dar frutos para o cristão, significa especificamente produzir algo semelhante ao que são os atributos da árvore ou da planta. Por exemplo, uma videira pode produzir uvas e o fruto que nasce é da mesma natureza e qualidade da planta de onde provém. A chave é que o fruto que deve estar produzindo é do mesmo tipo, qualidade e substância daquilo de onde vem e quando a Bíblia fala em dar fruto, há apenas duas opções; será fruto do Espírito ou fruto da polpa.

Todos os cristãos devem dar frutos do Espírito…

Frutos da carne

Paul escreve sobre dois tipos diferentes de frutos em Gálatas capítulo 5 e diz “andai pelo Espírito, e não gratificareis os desejos da carne”. Porque os desejos da carne são contra o Espírito, e os desejos do Espírito são contra a carne, pois estes são opostos uns aos outros, para vos impedir de fazer as coisas que quereis fazer” (Gl 5:16-17). Os frutos da carne são evidentes na maior parte do mundo, entre aqueles que não são salvos. Os frutos da carne incluem “imoralidade sexual, impureza, sensualidade, idolatria, feitiçaria, inimizade, contendas, ciúmes, acessos de ira, rivalidades, dissensões, divisões, inveja, embriaguez, orgias e coisas assim” (Gl 5,19-21a). Aonde estes tipos de frutos levam alguém? Paulo responde que ao escrever “Eu vos avisei antes, que aqueles que fazem tais coisas não herdarão o reino de Deus” (Gl 5,21b). A racionalidade disto é que se eles não estão herdando o reino, então eles estão herdando a ira de Deus (Ap 21,12-15). Às vezes até um cristão pode dar estes tipos de frutos porque ainda estão combatendo os velhos desejos, que é o que Paulo quis dizer quando escreveu “Porque eu não faço o bem que quero, mas o mal que não quero é o que continuo fazendo” (Rm 7,19). A diferença é que Paulo não queria fazer estas coisas e nem os que nasceram de novo. Aqueles que são do mundo não têm problema em fazer estas coisas (Gl 5:19-21a), mas o cristão sabe que estas não são boas e deseja fazer o bem.

Frutos do Espírito

Próximo, Paulo escreve sobre o que são os frutos do Espírito. O “Espírito” é capitalizado, significando que é um substantivo próprio, que é uma pessoa e, neste caso, o Espírito é Deus, o Espírito Santo, pois não podemos produzir frutos piedosos enquanto estamos na carne ou sem a ajuda do Espírito. Paulo nos diz quais são os frutos do Espírito em Gálatas capítulo 5 “o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio; contra tais coisas não há lei” (Gl 5,22-23). São frutos que são atributos de Deus como a paciência, a alegria e a fidelidade. O fruto se parecerá muito com a planta-mãe, neste caso, o Espírito de Deus. Não podemos ver no coração humano quem está salvo e quem não está, mas podemos ver o fruto da vida de uma pessoa ou a sua ausência, “E os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e desejos” (Gl 5,24). Assim, um crente em Cristo crucificou a carne e isso significa que os frutos da carne serão menos visíveis, mas aqueles que são nascidos do Espírito estão crucificando ou matando “a carne com as suas paixões e desejos”. Uma pessoa que não nasceu de novo não pode produzir estes frutos e não se importa se eles não são.

A Fonte do Fruto

Jesus disse aos discípulos “Eu sou a videira; vocês são os ramos”. Quem habita em mim e eu nele, é ele que dá muito fruto, porque, fora de mim, nada podeis fazer” (João 15,5). A chave aqui é que, além de ficarmos na videira, não podemos produzir nada, por isso Ele disse: “Permanecei em mim, e eu em vós”. Como o ramo não pode dar fruto por si só, a menos que permaneça na videira, também vós não podeis, a menos que permaneçais em mim” (João 15:4). Você nunca verá um ramo produzindo qualquer fruto, a menos que ele esteja preso à videira. Não é difícil… é impossível, então devemos permanecer em Cristo, pois Ele diz “Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e será feito por vós” (João 15:7). Se permanecermos em Cristo produziremos frutos e quando Jesus disse que Suas palavras devem permanecer em nós, isso significa que devemos permanecer ou habitar na Palavra de Deus pois Jesus é a Palavra e a Palavra é Jesus (João 1:1, 14). Além de habitar em Cristo e na Sua Palavra, a Bíblia, não podemos fazer absolutamente nada (João 15:5) e nada significa nada. Judas descreveu aqueles que estão indo para a destruição como “árvores sem fruto” (Judas 1:12) significando que não haverá fruto do Espírito naqueles que não estão habitando em Cristo e em Sua Palavra. O que falta é “o fruto da justiça que vem por Jesus Cristo” (Fil 1,11) e “o fruto que se obtém leva à santificação e ao seu fim, a vida eterna” (Rm 6,22) para o qual fomos chamados “para que demos fruto para Deus” (Rm 7,4).

Conclusão

Como escrevi antes, não podemos ver no coração humano se alguém é salvo ou não, mas podemos ver que tipo de fruto nasce. Em outras palavras, podemos ser inspetores de frutas e podemos dizer se não há fruta e se não há fruta, não há raiz e se o único fruto que você vê é o da polpa, você pode razoavelmente assumir que essa pessoa pode não ser salva. Se você está permanecendo em Cristo então você estará permanecendo na Sua Palavra, na Bíblia e você estará produzindo o fruto do Espírito. A palavra “permanecer” significa habitar, viver e estar presente. Todo cristão deve estar dando fruto do Espírito; alguns mais e outros não tanto, mas todo crente deve estar dando pelo menos algum fruto, mas se alguém diz ser cristão e não está dando nenhum fruto piedoso e você só vê fruto da carne, você precisa testemunhar para essa pessoa porque pode muito bem ser que ela não está realmente salva.

Mais sobre algum bom fruto: Fruto do Espírito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.