Estórias de Arpit

ANTECEDENTES
Religiões em todo o mundo sempre reverenciaram os locais de nascimento das suas figuras divinas com grande respeito. Estes lugares foram logo transformados em peregrinações, em vista da sagrada aura preservada nos respectivos locais de nascimento. Da mesma forma, os jainistas também reverenciaram os lugares onde os cinco eventos divinos, ou seja, os Panchkalyanaks de Tirthankars (Chyavan, Janma, Diksha, Kevalgyan e Nirvan) haviam ocorrido. O último Tirthankar deste ciclo cósmico, Shri Vardhaman Mahavir, em cujos ensinamentos o jainismo sobreviveu, floresceu e prosperou até a data, nasceu em 599 a.C., ou seja, há quase 2.618 anos.
Sendo o último Tirthankar, seria óbvio assumir que todos os locais originais dos Panchkalyanaks do Senhor Mahavir teriam sido bem preservados por Jainistas; No entanto, o caso não é assim. Embora, poderia ser surpreendente, as localizações de todos os cinco Kalyanaks do Senhor Mahavir são disputadas – seja entre as seitas Shwetambar-Digambar ou por estudiosos da história. A única localização Kalyanak acordada por ambas as seitas Shwetambar & Digambar, ou seja, Pawapuri (em Bihar) é disputada por estudiosos de história, que colocam a localização do Nirvan Kalyanak em Pava-Padrauna em Fazilnagar, Uttar Pradesh.
Budistas não semelhantes, que preservaram bem os locais, relíquias, stupas e outros vestígios arqueológicos relacionados a Gautam Buda, Jainistas não preservaram o mesmo com respeito ao Senhor Mahavir, predominantemente devido à migração em larga escala e a diferentes visões sectárias. Enquanto todos os locais Kalyanak do Lord Mahavir são disputados, o objetivo deste posto é estudar apenas as evidências disponíveis com respeito ao local de nascimento do Lord Mahavir, acima de qualquer preconceito sectário.

O BIRTHPLACE DO SENHOR MAHAVIR
Genericamente, os textos jainistas afirmam que o Senhor Mahavir nasceu do Rei Siddharth e Kshatriyani Trishala no reino conhecido como Kundpur, que estava situado na parte norte de Bharat Kshetra, que estava situado no meio do vasto Jambudwip. Este reino era governado por Siddharth e foi dividido em duas partes – Brahmankundgram, a leste (onde residiam os brâmanes) e Kshatriyakundgram, a oeste (que era a capital do reino). No centro de Kshatriyakund existia um magnífico palácio real, aninhado num leito de esplêndidos templos, jardins e lagos. O enorme palácio tinha vista para os jardins Gnat-khand-van no leste e Bahushal-van no oeste. No décimo terceiro dia da brilhante metade de Chaitra (mês), no ano de 599 a.C., o Senhor Mahavir nasceu em Trishala, neste mesmo palácio situado em Kshatriyakund.

A grande questão surge sobre a localização actual do antigo reino de ‘Kundpur’ juntamente com a sua capital – Kshatriyakund. Atualmente, três locais dentro do estado indiano de Bihar (que estão a uma distância significativa um do outro) são considerados como o local de nascimento do Senhor Mahavir pelas respectivas seitas –

>

>

Sl.
Nome
Localização
Acreditado por
Basukund / Vasokund
Vaishali, Bihar
Historians, Scholars & seita Digambar
2
Kundalpur
Badgaon, Nalanda, Bihar
Seita Digambar
Kundghat
Jamui Hills, Lachhuar Bihar
Shwetambar sect

Os três locais que se acredita serem os locais de nascimento de Lord Mahavir

Templos e dharamshalas foram construídos pelas respectivas seitas em todos estes três lugares com o objetivo de estabelecê-los como o legítimo local de nascimento de Lord Mahavir. Enquanto o templo de Kundghat foi construído no século X d.C., o templo de Kundalpur foi construído após o século XVI e o templo de Basukund foi construído após a Independência.

Templo Digambar Jain em Basukund

Digambar Jain Temples em Kundalpur, Nalanda; em cima: Templo Nandyavart Mahal, em baixo: Antigo templo pós-remodelações. (Fonte: www.jambudweep.org)

O Templo Shwetambar Jain em Kundghat (Parte superior: Antiga estrutura do templo; Parte inferior esquerda: A estrutura do templo foi renovada na última década; em baixo, à direita: Impressão do artista após as últimas reformas que serão concluídas em 20 de fevereiro)

Após o levantamento dos três lugares acima mencionados, com o objetivo de entender os fatos, coletei várias evidências e as classifiquei nas seguintes seções amplas: (1) Literário & Evidências Culturais – Evidências coletadas da antiga Shwetambar, Digambar & Escrituras Budistas contemporâneas juntamente com evidências culturais; e (2) Evidências Arqueológicas – consistindo de artefatos, arquitetura e evidências históricas desenterradas de todos os três locais. Todas estas evidências foram discutidas em detalhe abaixo. Além disso, tenho reservado minha opinião para que os leitores possam fazer seu próprio julgamento com base nas evidências disponíveis.

Folio from Kalpasutra retratando o nascimento do Senhor Mahavir

Antes de avançarmos mais, vamos primeiro entender a árvore genealógica do Senhor Mahavir, o que nos ajudaria a entender melhor essas evidências.
(Dica: Se você está lendo isso no seu celular, então gentilmente gire seu telefone para uma melhor experiência de leitura (toque na opção ‘girar ligado’ se estiver desligado)

A. EVIDÊNCIAS LITERÁRIAS

Para começar, vamos examinar os detalhes disponíveis em textos antigos (cronologicamente), que lançam alguma luz sobre os nomes distintivos do local de nascimento do Senhor Mahavir (nomes semelhantes em textos diferentes não repetidos)-

Literatura
Composta por
Seita
Data de Composição
Nome do local de nascimento
Acharang Sutra
Gandhar Sudharma Swami
Shwetambar
~5 BC
खत्तियकुंडपुरसंणिवेसंसि (Kshatriyakundpursannivesh)
Kalpasutra
Acharya Bhadrabahu
Shwetambar
~4 BC
खत्तियकुंडग्गामनयर (Kshatriyakundgramnagar)
Tiloya Pannati
Jadivasha
(Acharya Yatirishabh)
Digambar
~1 AD
कुंडलपुर
(Kundalpur)
Dhavala Tika of Shatkhandagam
Acharya Jinasen / Virsen
Digambar
8 AD
कुण्डलपुर
(Kundalpur)
Tirthkalp
Acharya Muniprabhsuri
Shwetambar
9 AD
खत्तियकुंडग्राम
(Kshatriyakundgram)
Uttarpuran
Acharya Gunbhadra
Digambar
10 AD
कुण्डपुर
(Kundpur)
Trishashtishalakapurush Charitra
Acharya Hemchandra
Shwetambar
11 AD
क्षत्रियकुंडनगर
(Kshatriyakundnagar)
Virjinandchariu
Acharya Pushpadant
Digambar
11 AD
वैशाली कुण्डपुर
(Vaishali Kundpur)
Vividhtirthkalp
Acharya Jinprabhsuri
Shwetambar
14 AD
कुण्डग्राम
(Kundgram)

Baseado no acima exposto, encontramos oito nomes distintos do local de nascimento do Senhor Mahavir como abaixo-
1. Kshatriyakundpur-sannivesh
2. Kshatriyakund-gram-nagar
3. Kundalpur
4. Kshatriyakund-gram
5. Kundpur
6. Kshatriyakundnagar
7. Vaishali-Kundpur
8. Kundgram

Parte da palavra ‘Kund’ que é comum em todos os nomes, cada nome tem um carácter distinto, tornando-o diferente dos outros.
A referência mais antiga do nome do local de nascimento do Senhor ocorre em Acharang Sutra, que menciona o nome do local de nascimento como – Kshatriyakundpur-sannivesh. A Tika (comentário) de Acharang Sutra nos dá os detalhes da palavra ‘Sannivesh’, que significa um lugar de parada para caravanas, procissões e viajantes. Assim, implica que a cidade não foi um lugar muito significativo. Kalpasutra, que foi composta cerca de 150 anos após o Acharang Sutra dar o nome do local de nascimento como “Kshatriyakund-gram-nagar”. A palavra “gram” significa uma aldeia, enquanto a palavra “nagar” significa uma cidade; assim, a conjunção de ambas as palavras “gram-nagar” significaria que Kshatriyakund não era uma cidade grande, mas uma cidade pequena ou um subúrbio. Além disso, Trishala foi intitulada “Kshatriyani” (क्षत्रियाणी) em Agams (não como uma rainha). Com base nessas informações, alguns estudiosos assumiram que Siddharth era um Kshatriya comum e não um rei. No entanto, existem evidências no Kalpasutra e Bhagvati Sutra que discordam da suposição (como abaixo)-

  • Siddharth foi intitulado ‘Raja’ e ‘Narendra’; ele foi embelezado com Mukut (coroa), Alankar (jóias) e Chatra (guarda-chuva de prata); ele empregava mais de 20 categorias de servos e tinha um grande exército à sua disposição;
  • Outros, quando o Lorde Mahavir nasceu, o Rei Siddharth libertou todos os prisioneiros do seu estado;
  • O Lorde Mahavir entregou objectos de valor no valor de 388 crores de moedas de ouro em Varshidan;
  • Jamali, genro do Lorde Mahavir, levou diksha com outros 500 residentes de Kshatriyakund (o que mostra que Kshatriyakund era uma grande cidade).

Baseado nos detalhes acima, podemos assumir que Kshatriyakund não era um subúrbio mas uma cidade e Siddharth não era um Kshatriya comum mas um Rei. Os nomes posteriores do local de nascimento também têm o sufixo ‘Pur’ e ‘Nagar’ que em Devanagari, significa uma cidade. Com base nos fatos acima, vamos agora aprofundar as evidências literárias observadas a favor de cada lugar considerado como local de nascimento do Senhor Mahavir-

1. a. Evidências literárias / antropológicas A favor de VASOKUND/ BASUKUND no Distrito de Vaishali –
i. A maioria dos textos posteriores de Jain (Nirvanbhakti, Harivanshpuran, Uttarpuran, Virjinandchariu, Vardhamancharitra etc.) localizam especificamente o local de nascimento do Senhor Mahavir na região de Videha. Adjetivos ao Senhor Mahavir, com referência ao mesmo também foram dados nos antigos Agams (como discutido abaixo, juntamente com diferentes interpretações). O território da região de Videha está localizado ao norte do rio Ganges, na parte nordeste de Bihar e leste de Terai do Nepal. Vaishali cai nesta região, enquanto Kundghat (perto de Lachhuar) era uma parte da região Anga e Kundalpur (perto de Nalanda) era uma parte da região Magadha.

Nome de Agam
Adjetivos dados
Interpretação 1
Interpretação 2
Sutrakrutang Sutra (~5 AC)
Vaishalik (वैशालिक)
>

Lord Mahavir pertenceu à região de Vaishali
Silankacharya no seu comentário ao Sutrakrutang Sutra menciona que o adjetivo de Vaishalik foi dado porque: (1) a Rainha Trishala pertencia ao clã Licchavi de Vaishali, (2) o clã do Senhor Mahavir era ‘grande’ (विशाल) e (3) seus discursos eram ‘vastos, volumosos, massivos e esplêndidos’ (विशाल).
Acharang Sutra
Videhjatya (विदेहजात्य)
Vaidehidutt (वैदेहीदत्त),
Videhdinne
(विदेहदिन्ने)
Videhsumale
(विदेहसुमाले)
O Senhor Mahavir pertenceu à região de Videha
>
>
>
A rainha Trishala também era conhecida como ‘Vaidehi’. (वैदेही) e ‘Videhdinna’ (विदेहदिन्ना) como sua família materna pertencia à região de Videha. Da mesma forma, no Ramayana, Sita também era conhecida como Vaidehi porque nasceu na região de Videha
>
>
>>COPY7ात्य também pode significar o “filho de Vaidehi” (filho da rainha Trishala). Os outros adjetivos, Vaidehidutt, Videhdinne e Videhsumale também implicam o mesmo.
>
Kalpasutra
“Teesam Vaasaaim Videhamsi Kattu”
(तीसं वासाईं ‘विदेहंसि’. कट्टु)
O senhor Mahavir passou 30 anos da sua vida na região de Videha antes do Diksha
A palavra विदेहंसि (Videhansi) também significa वि + देहंसि i.e renúncia ao apego material do corpo; Isto implicaria que – “Após 30 anos, o Senhor renunciou ao apego material do seu corpo e tomou Diksha”.

Localização aproximada das regiões Videha, Magadha e Anga (Fonte: Wikipedia)

ii. O texto budista Mahavagga (~5 AC) menciona que Kundpur era um subúrbio de Vaishali.
iii. O texto budista, Therigatha Atthakatha (~1 AC) , menciona que o Senhor Vardhaman pertenceu à Família Real Licchavi de Vaishali (वेसालियं लिच्छवि राजकुले निब्बत्ति वड्ढमानो तिस्स नामं अहोसि).
iv. Várias escrituras mencionam o nome de um rio chamado ‘Gandaki’ perto do local de nascimento do Senhor Mahavir. Este rio está situado perto de Basukund, Vaishali.
v. Uma tribo em Basukund (Vaishali) chamada ‘Jatharia’ afirma ser a descendência original do Senhor Mahavir. Desde tempos, os Jatharia’s tinham preservado uma grande parte da terra, que eles acreditavam ser o berço do Senhor Mahavir. Após a independência, o terreno foi entregue ao Governo da Índia, que foi usado para construir o templo Janmasthan em Basukund.

Idol do Senhor Mahavir Swami no Templo Basukund Digambar Jain

1. b. Evidências literárias NÃO a favor de VASOKUND/ BASUKUND no Distrito de Vaishali-
i. Todas as fontes históricas e budistas afirmam que Vaishali era uma república (um estado no qual o poder supremo é detido pelo povo e seus representantes eleitos, e que tem um governador eleito ou nomeado) e não uma monarquia. Por outro lado, todas as fontes jainistas indicam que Kundpur era um reino independente e não uma parte de qualquer república. Portanto, o local de nascimento do Senhor Mahavir, ou seja, Kundpur não era um subúrbio ou uma parte de Vaishali (poderia haver um outro lugar chamado Kundpur em Vaishali como identificado pelos budistas)
ii. Conforme Acharang Sutra e Kalpasutra, das 42 estações chuvosas (Chaturmas), passadas pelo Senhor Mahavir durante sua vida 7 estavam em Vaishali. Entretanto, nenhum dos textos registra que Lord Mahavir passou qualquer um dos 42 Chaturmas em sua terra natal.
iii. Segundo Jain, budista e outras fontes históricas, o rei Ajatshatru da dinastia Magadha travou uma guerra em 468 AC para conquistar Vaishali, que foi governada por Chetak (tio materno do Lorde Mahavir). Todas as fontes concordam unanimemente que Ajatshatru derrotou Chetak, o que implica que Vaishali foi governado pelo tio materno de Lord Mahavir e não pelo seu pai.
Os textos jainistas também afirmam que Lord Mahavir nasceu no palácio do rei Siddharth e não na residência do seu tio materno. Os textos de Jain também afirmam que após a queda de Vaishali (após o ataque de Ajatshatru), Nandivardhan continuou a governar Kundpur (como por Trishashtishalakapurush Charitra, o rei Nandivardhan foi ao encontro de Lord Mahavir quando ele chegou em sua terra natal, após Kevalgyan).

iv. Lord Mahavir falou no dialeto Ardhamagadhi, enquanto que o dialeto local em Vaishali e região Videha era Vajji. As regiões sob Kundghat e Kundalpur caem na zona de fala Magadhi.
2. a. Evidências literárias / antropológicas A favor do KUNDALPUR em Badgaon, Distrito de Nalanda-
i. Segundo Tiloya Pannati, Lord Mahavir nasceu para o Rei Siddharth e Rainha Priyakarini na Kundalpur (सिद्धत्थरायपियकारिणीहिं णयरम्मि कुंडले वीरो). O nome da aldeia perto de Badgaon, Nalanda era conhecido como Kundalpur desde tempos muito antigos; assim, o local de nascimento foi identificado com base no fato acima.
ii. A Dhavala Tika de Shatkhandagam, também afirma que Lord Mahavir nasceu em Kundalpur… आषाढ़ जोण्ण पक्ख छट्ठीए कुण्डलपुर णगराहिव णाहवतिस णवमासंश सिद्धत्थ णरिंदस्स ेिला देवीए गब्भमागंतणेसु तत्थ अट्ठदिवसाहिय पक्खे अच्छिय चइत्त सुक्क ्ख तेरसीए उत्तराफग्गुणी गब्भादो णिक्खंतो।”.
iii. Acharya Muniprabh Suri em seu Tirthmala (Século IX d.C.) afirmou que a distância entre Brahmankundgram-Kshatriyakundgram até Rajgriha e Pawapuri não era grande coisa. (महाणखत्तियकुंडग्रामाही राजगृही पावापुरी थमाही). Entretanto, a distância exata não foi especificada no Tirthmala, tornando-o aberto a interpretações. Seguem-se as distâncias a pé dos locais de nascimento identificados de Rajgir & Pawapuri-

  • Rajgir a Kundalpur (perto de Nalanda) – 17 quilómetros;
  • Pawapuri para Kundalpur (perto de Nalanda) – 15 quilómetros
  • Rajgir para Kundghat (colina de Jamui) – 79 quilómetros
  • Pawapuri para Kundalpur (colina de Jamui) – 70 quilómetros
  • Rajgir para Basukund (Vaishali) – 128 quilómetros
  • Pawapuri para Basukund (Vaishali) – 106 quilómetros
Idol de Shri MahavirSwami no templo Digambar Jain, Kundalpur (Fonte: www.jambudweep.org)

2. b. Evidências literárias NÃO a favor da KUNDALPUR no Distrito de Nalanda –
i. Textos de Jain localizam o local de nascimento do Senhor Mahavir na região de Videha. Kundalpur (perto de Nalanda) era uma parte da região Magadha e não da região Videha.
ii. Como por Acharang Sutra e Kalpasutra, das 42 estações chuvosas (Chaturmas), passadas pelo Lord Mahavir durante sua vida – três estiveram em Nalanda. Entretanto, nenhum dos textos registra que Lord Mahavir passou qualquer um dos 42 Chaturmas em sua terra natal. Mesmo os registros budistas, que estão repletos de detalhes de Nalanda e seus subúrbios, não registram que Lord Mahavir nasceu em Nalanda ou em qualquer um de seus subúrbios.
iii. No “Yugpradhan Acharya Gurvavali” (século XIV d.C.), é mencionado que por ordem de Acharya Jinchandrasuri, seus discípulos Upadhyay Rajshekhar, Ganivarya Hemtilak, Ganivarya Punyakirti e Muni Ratnamandir visitaram o local de nascimento de Gautam swami em Kundalpur (Badgaon), Nalanda. Mais tarde, eles visitaram Pawapuri, Kshatriyakund e Kakandi em uma seqüência. Isto implica que Kundalpur, Nalanda não foi o local de nascimento do Senhor Mahavir.

3. a. Evidências literárias/antropológicas A favor de KUNDGHAT em Jamui Hill Range, (perto de Lachhuar) –
i. A cordilheira do Jamui, apesar de ser uma região montanhosa, abriga sete aldeias (como na data) em superfícies planas. A tradição oral afirma que estas aldeias eram lugares de paragem para caravanas e viajantes que correspondem à descrição do termo “Sannivesh” mencionado no Acharang Sutra.
ii. Como discutido anteriormente, o reino do rei Siddharth, Kundpur foi dividido em 2 partes – Brahmankundgram & Kshatriyakundgram. A cordilheira Jamui é dividida pelo rio Bahuvara; Uma parte é conhecida como Brahmankund (no lado oriental) e a outra como Kshatriyakund (no lado ocidental), de acordo com as tradições locais desde centenas de anos. Há também um lugar conhecido na parte inferior da colina, onde Lord Mahavir tomou Diksha, que era conhecido como Gnantkhandvan, de acordo com as escrituras.

Templo Ancient Diksha Kalyanak (agora em renovação) em Gnatkhandvan – Kundghat

iii. A literatura Agam (Acharang Sutra, Avashyak Churni Kalpasutra, Bhagwati sutra) e Trishahstishalakapurush-charitra afirma que depois de tomar Diksha, o Senhor Mahavir Swami meditou por 48 minutos e imediatamente começou sua jornada Vihar para chegar a Kurmargram à noite (onde ele enfrentou sua primeira subida – evitada por Shakrendra). Post que ele visitou Kollag (onde ele quebrou seu jejum de 2 dias) e Morak Sannivesh (onde Lord Mahavir passou 15 dias de suas primeiras chaturmas). Todos estes lugares foram identificados nas proximidades de Kundghat (dentro do raio de 30 quilômetros). Kurmargram é agora conhecido como Kumar (a 13 quilômetros de Kundghat); Kollag é agora conhecido como Konag (a 18 quilômetros de Kumar; a 21 quilômetros de Kundghat) e Morak Sannivesh é agora conhecido como Maura (a 28 quilômetros de Kundghat).

Localização das aldeias visitadas por Lord Mahavir post Diksha de Kundghat

Note: Tentativas também foram feitas por historiadores e estudiosos para identificar lugares semelhantes perto de Basukund (Vaishali) que resultaram na identificação de Kaman Chapra como Kurmargram (43 quilômetros de Basukund) e Kolhua como Kollag (49 quilômetros de Kaman Chapra e 5 quilômetros de Basukund). Embora a localização de Morak Sannivesh não pudesse ser identificada, também não é possível que Lord Mahavir pudesse ter coberto uma distância de 43 quilômetros de Kundgram (Basukund) a Kurmargam (Kaman Chapra) em poucas horas (como Lord Mahavir tinha chegado a Kurmargram na noite do próprio dia de diksha).

Outras, Kalpasutra afirma que havia 4 cidades que eram conhecidas como Kollag durante os tempos antigos. Elas eram (1) Kollag perto de Kshatriyakund (2) Kollag perto de Vanijyagram, Vaishali (3) Kollag perto de Rajgruhi e (4) Kollag perto de Champa. (As cidades de Kollag perto de Rajgruhi e Champa ainda não foram identificadas) Portanto, a localização de Kolhua identificada como Kollag pelos historiadores foi a cidade de Kollag perto de Vanijyagram, Vaishali e não a cidade perto de Kshatriyakund.

Localização das aldeias visitadas por Lord Mahavir post Diksha de Basukund

iv. A mãe do Lorde Mahavir, Rainha Trishala, pertencia ao clã Licchavi, que governava a região de Vaishali. O rei Siddharth estabeleceu uma nova cidade para sua comitiva de Licchavis (damas de honra, criadas, etc.) perto de Kshatriyakundgram. No devido tempo, a cidade ficou conhecida como Lacchuar, que fica a 6 km do local de nascimento considerado pela Seita Shwetambar

Shwetambar Jain templo em Lachhuar

v. Bhagvati Sutra e Trishashtishalakapurush charitra declaram que após Kevalgyan, Lord Mahavir chegou ao reino de sua terra natal, i.e. Kundpur três vezes. Em Brahmankundgram ele deu diksha para seus pais Brahman, Rishabhdatt & Devananda e em Kshatriyakundgram ele deu diksha para seu genro, Jamali e filha, Priyadarshana. Nas três visitas, Samavasarans foram criados em três lugares diferentes em Brahmankundgram e Kshatriyakundgram. Hoje, três vales da montanha na aldeia de Kundghat são conhecidos conjuntamente pelo nome de ‘चक्कणाणि’ (Chakkanani). A palavra ‘चक्कणाणि’, deriva da língua Ardhamagadhi que pode ser explicada como – चक्क (chakra; i.e. Dharmachakra) + णाणि (gyani); Isto dá uma suposição que o nome das colinas foi baseado no fato de que um ‘gyani’ (pessoa conhecedora, ou seja, Lord Mahavir) que tinha estabelecido o Dharmachakra (estabelecimento do Dharma-Sangh) tinha visitado este lugar.
vi. Acharya Hansasomsuri no seu Tirthmala composto no século XV d.C. declarou que a distância entre Janmasthan do Lord Mahavir e Kakandi Tirth (local de nascimento de Suvidhinath Bhagwan) era de 5 Kosa (i.e. 17 quilómetros). A distância actual a pé entre o Janmabhumi (como acreditado pelos Shwetambars) e Kakandi é de quase 16 quilómetros.
vii. Muni Saubhagyavijayji em seu Tirthmala composto no século 17 d.C. declarou que Brahmankundgram e Kshatriyakundgram estavam situados no meio de colinas.
3. b. Evidências literárias NÃO a favor de KUNDGHAT na Serra de Jamui, (perto de Lachhuar)-
i. Não há referências nas escrituras que o local de nascimento do Senhor Mahavir estava situado numa região montanhosa; O local de nascimento do Senhor Mahavir, identificado pela seita Shwetambar, ou seja, Kundghat está localizado dentro da cordilheira do Jamui.

ii. A maioria dos textos Jain localizam o local de nascimento do Lorde Mahavir na região de Videha. Kundghat era uma parte da região Anga e não da região Videha.
B. EVIDÊNCIAS ARQUEAOLÓGICAS
Embora as evidências literárias possam, no máximo, nos guiar para os fatos; são as evidências arqueológicas que nos mostram as provas tangíveis. Portanto, no meu levantamento dos três locais de nascimento designados, recolhi as seguintes provas arqueológicas:
1. Provas arqueológicas a favor de VASOKUND/ BASUKUND no Distrito de Vaishali –
i. Durante as escavações de David Spooner realizadas entre 1903-14, foi escavado um selo de Vaishali que tinha uma inscrição – ‘Vaishalinaamkunde’ (वैशालीनामकुण्डे) gravada sobre ele. Isto sugere que Kundgram fazia parte da Vaishali. As escavações também revelaram as ruínas do palácio do governador Chetak em Vaishali. Essas ruínas estão situadas a quase 5 km de Basukund e a estupa budista de Licchavi em Vaishali também está situada a cerca de 6 km de Basukund. Ambas as evidências sugerem que Vaishali foi governada pelo clã Chetak de Licchavi e eleva a probabilidade de Kundpur ser um subúrbio, situado a 5 quilômetros de Vaishali.

Seal escavado de Vaishali com a inscrição – “Vaishalinaamkunde” (Fonte:Wikipedia)

ii. Numa aldeia chamada Bauna Pokhar, situada a cerca de 6 km de Basukund, foi encontrado um ídolo do Senhor Mahavir de uma lagoa local. Embora a população local remonte a 2.500 anos, os historiadores datam-no do século XII d.C.

Idol do Senhor Mahavir swami extraído de um lago em Bauna Pokhar, Vaishali

2. Evidências arqueológicas a favor do KUNDALPUR em Badgaon, distrito de Nalanda-

i. Das escavações dentro e perto das ruínas da Universidade de Nalanda, muitos artefatos e ídolos Jain foram escavados. Alguns destes foram instalados em templos Jain em Nalanda, enquanto alguns deles estão alojados nos museus Nalanda e Rajgir.
3. Evidências arqueológicas a favor do KUNDGHAT em Jamui Hill Range, (perto de Lachhuar) –
i. Entre as sete aldeias situadas no topo da Serra do Jamui, uma delas é conhecida como Londhapani. Esta vila abriga as ruínas de uma grande estrutura palaciana, que se acredita ser o palácio do rei Siddharth. Fragmentos de um ídolo Jain também foram escavados das ruínas. Recentemente, o Ministro Chefe Nitish Kumar também encomendou um novo conjunto de escavações para um estudo extensivo da região.
ii. O templo Janma Kalyanak da seita Shwetambar abriga um antigo ídolo do Senhor Mahavir Swami conhecido como “Jivit Swami”, que se acredita ter sido instalado pelo seu irmão, Nandivardhan. No entanto, os historiadores dataram-no da era Pala, ou seja, por volta do século X d.C. Durante a renovação do templo, a datação dos tijolos da fundação revelou que estes tinham mais de 2.500 anos de idade. Curiosamente, o Parikar do ídolo tem esculturas do rei Sidarth e Nandivardhan (à esquerda) e Trishala (em postura de sono – retratando a época do nascimento do Senhor) à direita.

Idolo antigo de Mahavir Swami adorado como “Jivit Swami” em Kundghat pela Seita Shwetambar

Esquerda: Esculturas do Rei Siddharth e Nandivardhan em um elefante; Direita: Rainha Trishala (em postura de sono) juntamente com as suas servas

iii. Outros ídolos, preservados nos templos Chyawan Kalyanak e Diksha Kalyanak na base do monte Kundghat e no templo de Lachhuar também datam do século X d.C.

>
~~~~~
Como dito acima, eu reservei minha opinião sobre as evidências acima mencionadas & fatos; Portanto, eu espero que os leitores tenham identificado o local de nascimento do Senhor Mahavir com base nas evidências fornecidas. Em caso de erros / omissões neste escrito ou se alguma informação adicional estiver disponível sobre este assunto, os leitores são solicitados a enviar o seu feedback para [email protected]
Mail para [email protected] para um PDF de fácil leitura para impressão.

1. Acharang Sutra – Tradução de Muni Deepratnasagar
2. Acharang Sutra (mool sahit anuvad)- Tradução do Prof. Ravjibhai Devraj
3. Kalpasutra – Tradução de Mahopadhyay Vinaysagar & Dr. Mukund Lath
4. Bhagvati Sutra – Tradução de Acharya Mahapragna
5. Bhagvati Saar de Gopaldas Jivabhai Patel
6. Sutrakrutang Sutra – Tradução de Muni Deepratnasagar
7. Tiloya Pannatti (Trilok Pragnapti) de Jadivasha – Tradução do Prof. A.N. Upadhye e Prof. Hiralal Jain
8. Trishashtishalakapurushcharitra de Acharya Hemchandra – Tradução de Sadhvi Dr. Surekhashriji
9. Os Livros Sagrados do Oriente (Jain Sutras, Parte 1 – Acharanga Sutra & Kalpasutra) – De Hermann Jacobi
10. Lord Mahavira & seus tempos pelo Dr. Kailash Chand Jain
11. Tirthmala de Sheth Anandji Kalyanji Pedhi
12. Shraman Bhagwan Mahavir ka Janma Sthan Kshatriyakund por Pandit Hirala Duggad Jain
13. Kshatriyakund de Muni Darshanvijayji (Triputi)
14. Fresh light on Bhagavan Mahavira’s Birthplace by Dr. Ajay Kumar Sinha – Jornal Jain (1984)
15. Bhagwan Mahavir ka Janma Sthal – Ek punarvichar pelo Dr. Sagarmal Jain


>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.